Especialista da ONU pede aos líderes mundiais renda básica universal

A melhor forma de lidar com a grande catástrofe na economia global provocada pelo covid-19 é fazer com que as finanças trabalhem em prol dos direitos humanos neste momento. Apoiar os menos favorecidos com abordagens financeiras um pouco mais ousadas é a solução para lidarmos com esse problema, e a introdução de uma renda básica universal é essencial neste momento, disse Juan Pablo Bohoslavsky, especialista em direitos humanos da ONU (Organização das Nações Unidas). As notícias sobre a declaração de Juan Pablo foram divulgadas em março de 2020.

“Com estímulos fiscais e mais incentivos à proteção social voltada para as pessoas mais vulneráveis diante desta crise, é possível que consigamos mitigar os efeitos negativos e devastadores da pandemia de covid-19. Peço para todos os governantes que façam a introdução de uma renda básica de emergência para as pessoas mais vulneráveis. Estou confiante que muitos países estejam buscando medidas e estímulos econômicos contra essa crise. Entretanto, essas medidas devem ser bastante cuidadosas para garantir que a proteção vá além de pensar somente no resgate dos bancos e grandes empresas”, afirma Pablo.

O especialista da ONU também salienta que “é muito importante que todos os serviços públicos sejam gratuitos para quem não possui condições de pagar. O pagamento de dívidas do setor público que estão atrasadas devem ser suspensas neste momento delicado. A saúde pública global precisa de uma grande injeção de recursos para não colapsar nos próximos meses. Os trabalhadores que prestam serviço no setor informal e não podem trabalhar no modelo home office, necessitam de incentivos econômicos e fiscais mais do que grandes instituições financeiras protegidas por algum fundo garantidor”, reforça.

Levando em conta que a recessão global que está se concretizando deverá ser um desastre sem precedentes, também poderá ser uma oportunidade única para que soluções inovadoras possam surgir. O especialista instou que a atual estrutura econômica dos paises mais afetados pela pandemia necessita de políticas econômicas mais específicas relacionadas com a pandemia de covid-19, que deve estar de acordo com os “Princípios Orientadores sobre os Efeitos das Reformas Econômicas nos Direitos Humanos”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *