Adiamento do novo “007” pode causar um prejuízo de US$ 50 milhões ao estúdio

Ao decidir adiar o próximo filme do agente James Bond, “007: Sem Tempo Para Morrer”, os estúdios MGM teve como objetivo evitar um prejuízo nas bilheteria devido a epidemia de coronavírus que levou alguns países, como a China, a fecharem as salas de cinema. No entanto, o adiamento do novo longa da franquia também deve causar danos financeiros.

De acordo com notícias do portal The Hollywood Reporter, fontes internas do estúdio afirmam que as despesas podem chegar a até US$ 50 milhões com a mudança na data de lançamento do filme. Grande parcela desse montante é em função das estratégias de marketing do longa. Para ter uma ideia, um teaser com a antiga data de lançamento chegou a ser mostrado durante o disputado intervalo do Super Bowl, nos Estados Unidos.

O marketing de lançamento de “007: Sem Tempo Para Morrer” terá que passar por alterações drásticas para trazer os fãs da franquia aos cinemas na nova data. Além disso, a concorrência no lançamento do novo filme de James Bond não será fácil, pois acontecerá em conjunto com produções bastante aguardadas, como “Os Eternos”, da Marvel Studios e “Godzilla Vs. Kong”, da Warner.

A contenção do coronavírus tem feito com que diversos eventos ao redor do mundo sejam adiados ou cancelados. Na Espanha, a edição de 2020 do MWC, um dos maiores congressos sobre a indústria móvel, acabou sendo cancelado. Já na Itália, o campeonato nacional de futebol já teve partidas adiadas ou realizadas com os portões fechados ao público.

No continente americano, a SXSW, feira que aborda as novidades do mundo do entretenimento, enfrentou várias baixas e também precisou anunciar seu cancelamento. Outro exemplo foi o GTC, encontro sobre inteligência artificial que optou por acontecer somente através de videoconferência.

No momento inclusive o maior evento esportivo, as Olimpíadas de Tóquio 2020, correm algum risco. Marcados para começar no final de julho, os jogos seguem na data estabelecida, e o Comitê Olímpico Internacional já destacou que pretende evitar qualquer alteração. Contudo, o ministro japonês Seiko Hashimoto já admitiu a possibilidade do evento ser adiado para o final de 2020, caso a situação não esteja controlada nas próximas semanas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *