Guilherme Paulus conquista título de empreendedor do ano e é exemplo no setor de serviços

O ano de 2017 foi um ano marcante para o empresário Guilherme Paulus, eleito o “Empreendedor do Ano” na categoria de serviços, decorrente do excelente trabalho realizado no segmento turístico brasileiro, a receber no mês de dezembro de 2017 o prêmio da revista IstoÉ, na cidade de São Paulo. E tudo começou quando Paulus transformou a CVC, fundada em 1972, numa das maiores operadoras de turismo da América Latina, com capital aberto e comandada por executivos de mercado. A CVC está presente em mais de 400 shoppings espalhados pelo país, além de 140 hipermercados e galerias comerciais.

O maior destaque deste sucesso é o espírito empreendedor de Guilherme Paulus, que atua também em outras áreas. O empresário comprou a companhia aérea Webjet, em 2006, participando do setor de aviação e tornando a referida companhia na terceira maior do Brasil, com operação em mais de 20 cidades brasileiras. No entanto, vendeu a Webjet para a GOL em 2011, por R$ 70 milhões de reais. Além disso, Paulus adquiriu a B2W Viagens, da Submarino Viagens, a Rextur Advance, a Trend, a Visual Turismo e o Experimento Intercâmbio, numa transação total de quase R$ 1 bilhão de reais. Dessa forma, o empresário consegue movimentar cerca de R$ 10 bilhões de reais por ano e transportar mais de 9 milhões de pessoas.

Atualmente, o renomado empresário tem se dedicado a GJP Hotels & Resorts, a funcionar desde 2005, sendo considerada uma das maiores redes de hotelaria do país, com 20 unidades e mais de 2 mil colaboradores, atendendo mais de 92 mil clientes durante toda sua operação. E os investimentos não param por aí. Guilherme Paulus irá lançar um novo hotel luxuoso no coração do Brasil, São Paulo, local que funcionava a antiga agência de publicidade DPZ, na avenida Cidade Jardim. A previsão é entregar o estabelecimento até 2021, com 65 apartamentos, rooftop, área de eventos e restaurante. O grupo GJP é referência em hotéis luxuosos, destacando-se os da Serra Gaúcha (Saint Andrews Gramado e Wish Serrano Resort). Outras bandeiras trabalhadas pelo grupo são a Prodigy (4 estrelas) e a Linx (3 estrelas).

Nos 35 anos da Fundação 25 de Janeiro, comemorado no segundo semestre de 2018, Guilherme Paulus manifestou em carta aberta a importância da citada fundação, que tem domínio das marcas VISITE SÃO PAULO e São Paulo Convention & Visitors Bureau. Para o empresário, comemorar 35 anos é um marco para o turismo brasileiro, bem como para setores de eventos e viagens. Paulus ressalta a relevante participação dos mais de 700 associados, que são os grandes responsáveis pela movimentação dos diversos segmentos de toda a cadeia produtiva, além de atrair cada vez mais visitantes para o destino almejado.

Por fim, Guilherme Paulus reafirma a necessidade de aprimorar a economia e incentivar novas oportunidades de negócios, por meio de programas de marketing, conteúdo e feiras de trades. Vale frisar que o empresário já investiu mais de R$ 600 milhões de reais na GJP Hotels & Resorts, tornando-se, assim, o maior exemplo de trajetória bem sucedida neste segmento, sempre apostando no turismo e no hábito dos brasileiros de viajarem pelo Brasil, mesmo em tempos de crise econômica.

Flavio Maluf aborda o uso de drones em lavouras de grande porte em todo o país

 

Segundo uma prospecção realizada pela Gartner, empresa de consultoria sediada nos Estados Unidos, o faturamento gerado pela venda de drones ultrapassará a cifra anual de U$ 11 bilhões. A informação, conforme reportar Flavio Maluf, diz respeito ao período que se estende até o ano de 2020.

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) tornou legal o emprego desse tipo de tecnologia desde meados de 2017. Mesmo com a maior parte dos drones utilizada no país para fins militares, é crescente o emprego desses equipamentos no segmento agrícola. Mais de 25% desses veículos são destinados ao uso exclusivo em ações envolvendo o agronegócio, salienta Flavio Maluf.

Os drones, por sua vez, abriram espaço para outro tipo de serviço: o de mapeamento de áreas. Por meio de análises detalhadas, empresas têm empregado tal tecnologia no que se refere a fornecer análises de caráter nutricional dos solos estudados. Tal funcionalidade, conforme informa o empresário, torna-se possível através de alguns sensores contidos nessas aeronaves.

Flavio Maluf salienta que para o presidente da companhia Hórus, Fabrício Hertz, a utilização de drones também possui outros aspectos benéficos às empresas do agronegócio e seus consumidores. O representante da empresa esclarece que é necessário um nível menor de defensivos agrícolas, o que se traduz em menos custos para as organizações, resultando também em alimentos de melhor qualidade para a clientela.

Hertz enfatiza que as lavouras que operam de modo tradicional, ou seja, sem o emprego de drones, acabam tendo uma carga maior de inseticidas. Onde há a utilização de drones, entretanto, esse tipo de produto é distribuído de modo mais equilibrado, já que é possível saber quais pontos demandam de defensivos agrícolas.

Além da redução de gastos, os drones são adotados no agronegócio para gerar economia de tempo em relação ao monitoramento voltado a outras demandas. Desse modo, Flavio Maluf pontua que o faturamento costuma ser 50% maior do que o verificado anteriormente.

O empresário Guilherme Paulus pretende inaugurar mais um hotel de luxo

O empresário Guilherme Paulus, fundador da companhia de viagens CVC, dono da GJP Construtora e Incorporadora e da GJP Hotels & Resorts, continuará investindo na hotelaria. Desta vez, Guilherme Paulus, um dos mais fortes nomes do Turismo brasileiro, escolheu a avenida Cidade Jardim, em São Paulo, exatamente onde ficava localizado a agência de publicidade DPZ, para executar seu mais novo projeto. O projeto, que tem a pretensão de estar pronto entre 2020 e 2021, é de construir um hotel luxuoso com 65 apartamentos, restaurante e espaço para eventos e lazer.

Guilherme Paulus que também é responsável pelo conselho de diretores do grupo GJP Participações – que atualmente possui duas empresas em seu domínio, GJP Hotels & Resorts e GJP Construtora e Incorporadora – tem a intenção com esse novo projeto de criar mais uma marca para o grupo, porém, não há informações de qual bandeira será utilizado para a propriedade.

Em 2005, no ano em que a GJP Hotels & Resorts foi fundada, iniciou suas atividades com apenas um estabelecimento, mas atualmente, podemos encontrar quatorze hotéis e resorts espalhados por todo o Brasil e tornou-se uma das maiores redes hoteleiras nacionais. A segunda empresa do grupo, GJP Construtora e Incorporadora, dedica-se à construção de condomínios para residências com padrão elevado e localizado em grande movimentação turística.

Também foi Guilherme Paulus quem fundou a empresa de turismo CVC, no ano de 1972. Inicialmente era uma agência pequena localizada em Santo André/SP, mas atualmente, com a fundamental contribuição de Paulus, a empresa se tornou a maior agência de viagens da América Latina, além de ser a maior rede de turismos do Brasil.

Em 2009, quando Paulus decidiu vender a CVC ao Carlyle Group, o resultado foi o crescimento a um nível ainda mais elevado. A companhia que ganhara um novo dono passou a contar com Paulus exercendo a função de presidente do Conselho de Administração. No atual momento, a CVC está presente em muitos municípios do Brasil. O resultado é um faturamento médio anual de alto valor.

Na área da aviação, Guilherme Paulus também se destacou quando comprou a companhia aérea Webjet, em 2006, que havia apenas uma aeronave, mas, em apenas 5 anos a transformou na terceira maior empresa do Brasil da linha aérea, com vinte aeronaves em sua frota está atuante em mais de vinte municípios brasileiros. Depois realizou um das maiores negociações da aviação do Brasil vendendo a companhia para a empresa Gol.

Em se tratando de responsabilidade social, Paulus a torna presente em seu empreendedorismo. A CVC, por exemplo, apóia o projeto PIET (Programa Integrado de Educação Turística), da cidade de Foz do Iguaçu/PR. O PIET tem como objetivo aproximar a comunidade do turismo e formar jovens para atuar na área. Também é patrocinado por sua companhia o projeto de Alfabetização Solidária – Alfasol, que ajudam os jovens interessados a imergirem no turismo, também é patrocinada por sua companhia.

Seu trabalho como empreendedor o rendeu premiações dos governos internacionais. Foi homenageado, em 2012, pelo governo francês, por ter contribuído com o desenvolvimento do turismo na França. Além de ter reconhecimento no México, Venezuela, Estados Unidos e Argentina.

Jose Auriemo Neto procura mais com a JHSF

Jose Auriemo Neto é um indivíduo muito popular no estado devido aos grandes projetos de investimento que ele iniciou na região.

A líder do Brasil no setor imobiliário A JHSF Participações SA consolidou recentemente seu domínio do setor através da compra de 13 restaurantes Fasano. A mudança fará com que a empresa diversifique seu mercado.

Agora, a JHSF terá acesso à prestigiada marca Fasano, que está no topo do mercado com o seu já crescente nome no mercado imobiliário brasileiro.

A empresa ofereceu uma aquisição irresistível no valor de US $ 23,8 milhões e a administração da Fasano não teve nada além de aceitá-la. José Auriemo Neto, o CEO da JHSF iniciou o processo que adicionou mais em seu portfólio já rico.

A JHSF é uma empresa que lida apenas com pessoas de alta renda no mercado. Estes incluem propriedades residenciais e comerciais. Estes mercados também não conhecem nada como baixos em relação à economia, receita por toda parte.

Foi isso que atraiu a JHSF em primeiro lugar; ter algo a longo prazo e sustentável.

Aliada a sólidas práticas de liderança, a JHSF aproveita as inovações tecnológicas para se manter à frente da curva. Recentemente, a empresa incorporou o Microsoft Dynamics CRM 2015, que lhes permitiu oferecer serviços de alta qualidade.

A JHSF usou essas inovações para impulsionar suas propriedades de luxo, que incluem shopping centers, aeroportos privados e edifícios residenciais, entre outros.

Uma dessas propriedades de alto nível é a CidadeJardim Shops, localizada na região dos Jardins, no Metrô Tucuruvi Shopping Plaza, que conta com integração de terminal de ônibus e metrô.

Embora a empresa tenha sido lançada há cerca de 45 anos, sua reputação a precede. A JHSF tem uma maneira genial de identificar oportunidades maduras e age rapidamente antes que alguém as pegue. Tal característica fez com que ela fosse considerada, principalmente, como a mais ousada desenvolvedora de todo o Brasil.

Sem o seu espírito de assumir riscos, a JHSF não estaria em cidades tão grandes como São Paulo, Manaus e Salvador no Brasil para não mencionar outros empreendimentos internacionais em Miami e Nova York, tanto nos EUA quanto em Punta del Este, no Uruguai.

Relatório de Felipe Montoro Jens revela o estado preocupante da infraestrutura brasileira

 

Felipe Montoro Jens, o CEO da Energipar Captacao e um guru de infraestrutura, elaborou um relatório sobre o número crescente de projetos estagnados no Brasil. De acordo com o relatório fornecido pelo Ministério do Planejamento no Brasil, havia 2796 obras cujas operações foram interrompidas. Das 2796 obras, 517 estavam diretamente relacionadas à indústria de infra-estrutura. Isso corresponde a 18% do total de projetos, totalizando um custo total de R $ 10,7 bilhões. Quando tais coisas acontecem, o saneamento das áreas afetadas é geralmente interrompido. Isso, então, coloca inúmeros outros perigos para as pessoas.

 

No relatório, vários motivos para a descontinuidade das obras foram destacados. O abandono de obras pelas empresas foi um dos motivos que foram destacados. Muitas ênfases foram colocadas na questão das restrições orçamentárias e financeiras que contribuíram em grande parte para essa ameaça. Além disso, problemas técnicos e problemas de propriedade da terra também estavam entre as razões declaradas no relatório.

 

Além de apenas declarar o problema, o relatório de Felipe Montoro Jens também apresentou recomendações. Para evitar o problema de paralisação e atrasos de projetos no Brasil, as partes interessadas devem projetar contratos equilibrados. As partes interessadas envolvidas também devem implementar a modalidade de execução correta e fortalecer o controle interno.

 

Graduado pela Fundação Getulio Vargas, onde se formou em administração, Felipe Montoro Jens é empresário e especialista em infra-estrutura. Ele também é especializado em questões relacionadas ao gerenciamento de resíduos. Ele é conhecido por sua capacidade de aconselhar corporações e governos sobre vários métodos lucrativos e financeiramente responsáveis ​​para eliminar o desperdício. Ao longo de sua carreira, Felipe adquiriu experiência e conhecimento trabalhando em uma ampla variedade de setores, desde mineração a regeneração de energia e fabricação de produtos químicos. A experiência de Felipe Montoro Jens permitiu-lhe viajar para vários países em todo o mundo. Felipe trabalhou em diferentes países da África, Europa e até da América Latina, de acordo com Terra.