Toneladas de peixes mortos tiveram de ser retiradas da lagoa Rodrigo de Freitas

Moradores de um luxuoso bairro no Rio de Janeiro acordaram nesta sexta-feira com um odor desagradável de 13 toneladas de peixes mortos flutuando na água da lagoa Rodrigo de Freitas. Um dos locais considerado cartão postal da cidade, a lagoa sofreu impacto ambiental semelhante nos anos anteriores e os biólogos acreditam que o calor extremo é o culpado.

Mortes de peixes em massa acontecem periodicamente em todo o mundo. Eles podem ser causados por poluição ou vazamentos tóxicos, mas também podem ser desencadeados por fenômenos naturais, como o clima muito quente, já que o calor reduz a quantidade de oxigênio dissolvido na água, o que pode ser fatal para a vida marinha.

Atualmente, é verão aqui no Brasil, como é no restante do hemisfério sul, e com o El Nino emergindo no Oceano Pacífico, a estação deve ser quente. El Nino é o aquecimento das águas do Oceano Pacífico e é conhecido por afetar o clima ao redor do globo. No Brasil, geralmente traz clima mais quente do que o normal para o sudeste e torna as águas costeiras ao redor do Rio estagnadas.

O biólogo e especialista em ecossistemas, Mario Moscatelli, disse que está convencido de que a mudança climática está aquecendo a bacia da lagoa. “Precisamos modernizar e repensar a situação da lagoa Rodrigo de Freitas porque a bacia está ficando muito quente”, afirmou o especialista. “Mesmo se pararmos completamente a poluição através dos esgotos, ou mesmo se o canal (o canal que liga a lagoa ao oceano) estiver limpo, talvez não seja suficiente na nova realidade climática. Temos que pensar numa solução e começar a reagir ou isso se tornará um cemitério de peixes novamente”.

Pelo mundo todo, há notícias sobre mortes regulares de peixes ao longo do ano, mas acredita-se que os números estejam aumentando.

Em outubro, centenas de milhares de peixes foram encontrados mortos em um lago em Metapan, El Salvador, quando os níveis de oxigênio caíram. Já em novembro, dezenas de milhares de estrelas do mar morreram em uma praia em Lincolnshire, no Reino Unido. Acredita-se que eles foram retirados do fundo do mar em mar agitado e jogados na areia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *