Pesquisas sobre a produção manufatureira nos EUA enviam sinais diferentes

Pesquisas diferentes oferecem visões diferentes sobre a saúde da economia manufatureira dos EUA. O indicador ISM, amplamente observado por economistas do mundo todo, é responsável por notícias sobre a saúde da produção de bens norte-americana, que subiu para 61,3 pontos em agosto de 2018, mostrando uma série de crescimento indicado pelas pesquisas há mais de um ano. Em contraste, 54,7 é o resultado da pesquisa IHS Markit PMI, que mostra um setor manufatureiro mais moderado, embora ainda esteja desfrutando de um crescimento razoavelmente sólido.

Verificar qual pesquisa está enviando o sinal correto é importante, ainda que, a manufatura representa apenas cerca de 12% do PIB dos EUA, ela continua sendo um indicador da essencial da economia em geral, inclusive no Brasil. Os índices de fabricação do ISM e do PMI, são componentes importantes dos modelos de ‘nowcast’, que tentam medir a taxa atual de crescimento econômico. Falsos sinais sobre a saúde do setor fabril podem custar caro para investidores, empresas e formuladores de políticas.

Com os dados oficiais da produção industrial de agosto deste ano, podemos ter uma ideia melhor de qual levantamento está fornecendo o melhor sinal das tendências reais de produção. Os dados oficiais, produzidos por funcionários do Federal Reserve, mostraram uma produção de 0,2% decepcionante no segundo semestre de 2018, após um ganho mais impressionante de 0,7% em junho deste ano.

Como os dados mensais podem ser voláteis, também é útil observar a tendência, que é geralmente avaliada usando a alteração na produção nos últimos três meses em comparação com os três meses anteriores. Nesta base, a produção subiu 0,5% nos três meses até agosto.

Para comparar o desempenho da pesquisa, usamos os índices de resultado da pesquisa ISM e PMI, em vez dos números da pesquisa principal (que são agregados de vários subíndices da pesquisa), que são traçados com base na mudança de três em três meses.

As pesquisas foram comparadas através de uma simples regressão OLS, que apontou o último índice de produção ISM como indicativo de crescimento de 1,6% na medida oficial de produção de manufatura com intervalo de três meses, superestimando a tendência oficial de crescimento por alguma margem, enquanto uma taxa de crescimento de pouco mais de 0,2% foi indicada pelo PMI.

As comparações mostram que, na última década, a correlação do índice de produção do ISM com o indicador oficial é de 0,81, mas o PMI tem uma correlação maior de 0,89. O ajuste relativamente melhor do PMI com os dados oficiais é especialmente notável nos últimos dois anos, período em que o ISM tendeu a superestimar substancialmente as taxas de crescimento oficiais.

Em 2017, o sinal médio do ISM foi de crescimento de 1,3%, comparado a apenas 0,3% do PMI. Em comparação, a taxa de crescimento oficial durante este período foi em média de 0,5%, portanto muito mais próxima do PMI do que do ISM.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *