Relatório de Felipe Montoro Jens revela o estado preocupante da infraestrutura brasileira

 

Felipe Montoro Jens, o CEO da Energipar Captacao e um guru de infraestrutura, elaborou um relatório sobre o número crescente de projetos estagnados no Brasil. De acordo com o relatório fornecido pelo Ministério do Planejamento no Brasil, havia 2796 obras cujas operações foram interrompidas. Das 2796 obras, 517 estavam diretamente relacionadas à indústria de infra-estrutura. Isso corresponde a 18% do total de projetos, totalizando um custo total de R $ 10,7 bilhões. Quando tais coisas acontecem, o saneamento das áreas afetadas é geralmente interrompido. Isso, então, coloca inúmeros outros perigos para as pessoas.

 

No relatório, vários motivos para a descontinuidade das obras foram destacados. O abandono de obras pelas empresas foi um dos motivos que foram destacados. Muitas ênfases foram colocadas na questão das restrições orçamentárias e financeiras que contribuíram em grande parte para essa ameaça. Além disso, problemas técnicos e problemas de propriedade da terra também estavam entre as razões declaradas no relatório.

 

Além de apenas declarar o problema, o relatório de Felipe Montoro Jens também apresentou recomendações. Para evitar o problema de paralisação e atrasos de projetos no Brasil, as partes interessadas devem projetar contratos equilibrados. As partes interessadas envolvidas também devem implementar a modalidade de execução correta e fortalecer o controle interno.

 

Graduado pela Fundação Getulio Vargas, onde se formou em administração, Felipe Montoro Jens é empresário e especialista em infra-estrutura. Ele também é especializado em questões relacionadas ao gerenciamento de resíduos. Ele é conhecido por sua capacidade de aconselhar corporações e governos sobre vários métodos lucrativos e financeiramente responsáveis ​​para eliminar o desperdício. Ao longo de sua carreira, Felipe adquiriu experiência e conhecimento trabalhando em uma ampla variedade de setores, desde mineração a regeneração de energia e fabricação de produtos químicos. A experiência de Felipe Montoro Jens permitiu-lhe viajar para vários países em todo o mundo. Felipe trabalhou em diferentes países da África, Europa e até da América Latina, de acordo com Terra.

 

Conheça Carlos Alberto de Oliveira Andrade e sua trajetória no mercado automobilístico

Carlos Alberto de Oliveira Andrade é acionista do grupo CAOA, cujo recebeu três prêmios importantes, sendo um deles o primeiro colocado numa pesquisa anual de satisfação realizada pela JD Power.

A consultoria se mostra como uma das autoridades mundiais na avaliação de serviços no mercado automobilístico pelos olhos dos consumidores. As demais premiações foram concedidas através da revista Consumidor Moderno: primeiro lugar com automóveis de luxo em “Satisfação em Atendimento ao Cliente”, batendo a grandiosa Mercedes-Benz, e o título de “Empresa do Ano”, pelo voto popular. Ele, sem delongas, já estabeleceu a próxima meta: quer o primeiríssimo lugar na pesquisa de satisfação pelos serviços de pós-venda na concessionária, feita também pela JD Power.

Em 1970, quando assumiu o comando da primeira concessionária, Carlos Alberto de Oliveira Andrade já visava deixar seus clientes satisfeitos. A concessionária aumentou, na época, significativamente seu número de vendas: de oito carros por mês, passou a vender trinta!. Um número impressionante, mas que ainda podia crescer mais: no final do ano, as vendas chegaram à casa da centena. Andrade disse que muitas vezes saía perdendo, mas que o importante era efetivamente fechar a venda. Como não poderia deixar de ser, a fama se espalhou pela região,e logo pessoas de outras cidades começaram a comprar com ele. Em pouco tempo, a Ford o procurou, oferecendo a ele a principal concessionária do Recife, e, anos mais tarde, algumas em São Paulo. No total, Carlos Alberto de Oliveira Andrade já vendeu mais de um milhão de veículos desde a década de 70.

Até 2017, a CAOA era importadora com exclusividade das marcas Subaru e Hyundai, e ainda a maior importadora da Ford no Brasil. Atualmente, seu orgulho maior é a fábrica em Anápolis, que, segundo ele, fabrica modelos com a mesma qualidade, quando não melhor que os provenientes da Coréia. Andrade ainda destaca uma preocupação com o meio ambiente, investindo em tratamentos de efluentes, para que a água utilizada na pintura seja devolvida potável.

Carlos Alberto de Oliveira Andrade afirmou que o sucesso da Hyundai no Brasil se deve, em grande parte, à CAOA, já que a Hyundai CAOA tornou-se um dos mais importantes anunciantes do país, com seu atendimento ao cliente no momento da compra e com os serviços de pós-venda. Ele ressalta que o melhoramento dos veículos da marca também foi crucial, já que impulsionaram com o SUV Terracan, e que tudo melhorou mesmo com o Tucson. Andrade afirma que inaugurou o segmento dos SUVs no Brasil

Atualmente, ele atua na presidência do Conselho de Administração da CAOA, porém ainda mantém-se envolvido nos assuntos da empresa, sem perspectivas breves de parar, e sempre buscando maneiras de crescer.

Carlos Alberto de Oliveira Andrade possui ainda um sonho a ser alcançado: a fabricação de um carro 100% nacional, com uma indústria automobilística inteiramente brasileira.