Muitas empresas não terão fôlego para sair desta crise, apontam dados do IEDI

A recuperação da economia global será mais lenta em países mais afetados pela pandemia, variando de acordo com os incentivos fiscais e monetários que fomentam a retomada das empresas, principalmente as mais endividadas. No Brasil, essa recuperação deverá ser bastante lenta, pois as empresas mais comprometidas, que acumularam dívidas durante a pandemia de coronavírus, não terão fôlego para arcar com mais investimentos, algo que pode levar ao falecimento de muitas empresas no pós-pandemia e impossibilitará uma retomada rápida da economia por aqui.

As notícias sobre a derrocada de várias empresas no Brasil já ocupam lugar de destaque nas divulgações de jornais internacionais. O tamanho de cada endividamento se torna evidente ao ser feita uma análise trimestral das empresas que possuem capital aberto. Dentre as 226 grandes empresas não-financeiras que possuem ações disponíveis para negócios na bolsa de valores, a proporção entre endividamento e capital próprio chegou a 76,8% este ano, de acordo com dados do Iedi (Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial). Isso significa que, em cada R$ 1 captado por sócios, essas empresas possuem R$ 0,77 em dívidas acumuladas.

O estudo apontou que a dívida das empresas teve um recuo em comparação com 2018, porém, vem caminhando no mesmo patamar de dívidas observadas em 2014, ano em que o país entrou em uma recessão econômica. Um dos grandes motivos para a falta de fôlego das empresas é a desalavancagem, como vem acontecendo com a Petrobras e a Vale, por exemplo, companhias com grandes investidores estrangeiros que estão cada vez menos confiantes no mercado brasileiro.

“Com o ambiente de recuperação da economia e um patamar fraco entre os anos de 2017 e 2019, o Brasil não conseguiu condições suficientes para incentivar as empresas a reduzir suas dívidas acumuladas ao longo dos últimos anos. Grande parte das empresas analisadas possuem dívidas maiores do que as declaradas em 2014. Logo após o primeiro susto do coronavírus no Brasil, empresas de diversos setores, estados e municípios passaram a necessitar de mais estímulos fiscais e monetários para lidar com a crise”, diz Rafael Cagnin, economista-chefe responsável pelo estudo do Iedi.

Computador superpotente revela motivo da extinção do Homem de Neandertal

Os neandertais viveram na Eurásia – região composta pelas áreas dos continentes europeu e asiático – por pelo menos 300.000 anos. Então, há cerca de 43 a 38 mil anos atrás, desapareceram rapidamente da face da Terra, deixando apenas traços genéticos fracos nas populações atuais do Homo Sapiens. Admite-se que sua extinção coincidiu com um período de condições climáticas que mudavam rapidamente, bem como com a chegada do Homo sapiens na Europa. Contudo, determinar qual desses fatores foi a causa predominante permaneceu como um dos maiores desafios da antropologia evolucionária.

Para quantificar quais processos desempenharam um papel importante no colapso das populações neandertais, é necessário usar modelos matemáticos que possam simular realisticamente a migração de neandertais e homo sapiens, suas interações, competição e cruzamento em um ambiente climático em mudança. Tais modelos não existiam até então.

Em um novo artigo publicado na revista Quaternary Science Review, Axel Timmermann, diretor do Centro IBS de Física Climática da Universidade Nacional de Pusan, apresenta uma das maiores notícias recentes: a primeira simulação realista de modelo computacional da extinção de neandertais na Eurásia. O modelo é composto por vários milhares de linhas de código de computador e é executado no supercomputador, cujo nome é Aleph, e realiza uma série de equações matemáticas que descrevem como os neandertais e o Homo sapiens se moviam em uma paisagem glacial variável no tempo e sob mudanças de temperatura, chuva e padrões de vegetação. No modelo, ambos os grupos de hominídeos competem pelos mesmos recursos alimentares e uma pequena fração é permitida a cruzar. Os principais parâmetros do modelo são obtidos a partir de simulações realistas de modelos climáticos por computador, dados genéticos e demográficos.

“Esta é a primeira vez que podemos quantificar os fatores determinantes da extinção dos neandertais”, disse Timmermann. “No modelo de computador, posso ativar e desativar processos diferentes, como mudanças climáticas abruptas, cruzamentos ou concorrência”. Comparando os resultados com os dados paleo-antropológicos, genéticos e arqueológicos existentes, Timmermann demonstrou que uma extinção realista no modelo computacional só é possível se o Homo sapiens tivesse vantagens significativas sobre os neandertais em termos de exploração dos recursos alimentares existentes. Embora o modelo não especifique os detalhes, possíveis razões para a superioridade do Homo sapiens poderiam ter sido associadas a melhores técnicas de caça, maior resistência a patógenos ou maior nível de fecundidade.

O que exatamente causou o rápido desaparecimento dos neandertais permaneceu indescritível por um longo tempo. Essa nova abordagem de modelagem por computador identifica a exclusão competitiva como o provável motivo do desaparecimento de nossos primos. “Os neandertais viveram na Eurásia nos últimos 300.000 anos e experimentaram e se adaptaram a mudanças climáticas abruptas, que foram ainda mais dramáticas do que aquelas que ocorreram durante o tempo do desaparecimento dos neandertais. Não é por acaso que os neandertais desapareceram exatamente na época, quando o Homo os sapiens começou a se espalhar pela Europa “, diz Timmermann. Ele acrescenta “As novas simulações de modelos de computador mostram claramente que este evento foi a primeira grande extinção causada por nossa própria espécie”.

Vírus de computador identificado no YouTube fez várias vítimas no Brasil

Especialistas em cibersegurança identificaram uma versão evoluída do Astaroth, um vírus de computador malicioso que possui a capacidade de roubar informações de computadores infectados. As notícias sobre o vírus foram divulgadas no dia 13 de maio deste ano. O que mais chamou a atenção dos especialistas no assunto é que a nova versão do vírus foi encontrada em canais do YouTube. Além de estar sendo registrado em canais do YouTube em meio a comentários, o programa malicioso também é enviado para as pessoas por email, com o tema covid-19.

O Astaroth possibilita que o hacker roube senhas quando são digitadas em um computador contaminado. Esse vírus não é uma praga digital recente, e vem recebendo aprimoramentos de seus desenvolvedores ao longo dos anos. Recentemente, a análise mais detalhada do código foi publicada pelo Talos, um grupo de especialistas em cibersegurança.

Os especialistas notaram que a nova praga tem vários mecanismos para que o seu funcionamento não seja revelado quando identificado. O novo código foi programado para que ele se auto interrompa quando for detectado ou se estiver sobre a presença de ferramentas de verificação de programas maliciosos.

Segundo a análise do grupo de especialistas, a praga digital já fez várias vítimas no Brasil ao longo de nove meses, mas é possível que as atividades do novo vírus já estejam ocorrendo há mais de um ano no país. O software é programado para ser enviado em massa por email, que faz uso do tema coronavírus. Além desse tema em voga, os usuários recebem por email, demonstrativos de boletos atrasados e/ou pedidos de compras que não existem no nome do usuário, que ao clicarem para ver, acabam sendo vítimas do Astaroth.

É comum que o email malicioso contenha um link que conduz o arquivo contaminado. Junto com o link contaminado um outro arquivo bem pequeno é encontrado. Esse arquivo com a extensão “.lnk” se instala no Windows e uma vez no computador, ele abre as portas para a segunda fase da contaminação, que é executar comandos de download para a invasão tornar-se completa.

Após o Astaroth se firmar no sistema operacional da vítima, ele começa a visitar vários canais do YouTube e o dono do computador não irá perceber nenhum sinal desta ação. Os canais visitados pelo programa irão deixar uma descrição que parece uma linha de código de programação, algo sem sentido para os usuários que comentam. Mas, para os hackers envolvidos no golpe, trata-se de um marcador indicando para os ladrões de senha qual é o próximo passo.

Gigante da tecnologia está desenvolvendo cartão de débito com bandeira própria

Ainda sem maiores detalhes revelados, a Samsung anunciou que um cartão de débito próprio em breve fará parte da realidade de seus clientes. A novidade, segundo publicado no blog da companhia em 7 de maio de 2020, estará atrelada a um outro serviço que a empresa já oferece, o sistema de pagamentos conhecido como “Samsung Pay”.

Para que os planos da Samsung se concretizassem foi necessário que se estabelecesse uma parceria com a empresa SoFi, que atua no ramo de finanças pessoais. O cartão de débito da corporação de tecnologia dará direito a uma conta para que o usuário faça o gerenciamento de suas movimentações de débito. Estima-se que um aplicativo deverá ser criado para que os clientes acessem as operações de forma integrada. Segundo o Portal de Notícias Terra, espera-se que o mês de maio seja marcado por outras informações sobre a inovação.

A clientela da Samsung já conta com um cartão da marca, mas este funciona somente pelo regime de pré-pagamento. Vale destacar que somente alguns países possuem este serviço disponível. Em relação à modalidade de débito, a corporação anunciou que trata-se de uma das ações que comporão a expansão adotada pela organização. Com isso, a administração da corporação espera que ocorra uma melhoria na experiência de uso de cada cliente.

Além da Samsung, outras companhias entraram na corrida para implementação de sistemas de pagamentos. O serviço da Apple, por exemplo, recebe o nome de “Apple Pay” e já está em operação para o público brasileiro desde o ano de 2018. Neste caso, contudo, há também um cartão próprio de débito. Seguindo a mesma linha, a corporação Google também anunciou sua ferramente financeira, batizada de Google Pay.

Por meio de um anúncio, a Samsung deixou claro que os objetivos da empresa em se tratando deste cartão, é também avançar em relação aos pagamentos a partir de dispositivos móveis. Os gestores da empresa disseram esperar que haja maior facilidade aos usuários quanto à organização financeira, o que poderá resultar na realização de diversos projetos de seus clientes espalhados por todo o mundo.

Saiba mais:

https://www.terra.com.br/noticias/tecnologia/samsung-deve-ter-seu-proprio-cartao-de-debito-em-breve,e924d87fa3f773fd685df2a625053c6a2uktfeb6.html

Como o JHSF de José Auriemo Neto está revolucionando o mercado imobiliário brasileiro

O Brasil é uma das economias em desenvolvimento mais promissoras do mundo atualmente. O setor imobiliário é uma das indústrias que está impulsionando o crescimento deste país. A prosperidade no setor imobiliário do país pode ser facilmente atribuída à JHSF, a empresa imobiliária líder na região. Esta empresa imobiliária é especializada na venda de imóveis comerciais e residenciais para o segmento de alta renda do mercado.

Entre os projetos mais bem-sucedidos que a JHSF assumiu no passado recente estão hotéis de luxo, shopping centers de luxo e um aeroporto executivo internacional. José Auriemo, CEO desta empresa imobiliária de ponta, destacou que colocar a qualidade e a excelência em primeiro lugar foi muito crucial para o crescimento dessa empresa.

Preenchendo a lacuna de luxo – Antes da entrada da JHSF no mercado, o setor imobiliário no Brasil não era tão estabelecido e próspero como é hoje. Se você fosse um comprador de luxo de alto nível, teria dificuldade em encontrar um imóvel que lhe convinha. No setor comercial, a maioria das marcas de luxo globais evitou a instalação de lojas no país devido à falta de um espaço adequado. Sob a liderança de José Auriemo Neto, a empresa conseguiu estabelecer numerosos empreendimentos de luxo que levaram o mercado a crescer. A estratégia para esse crescimento envolveu não apenas o desenvolvimento, mas também a conversão de estruturas mais antigas em espaços de vida de luxo e shopping centers.

Sobre José Auriemo – Muitos especialistas do setor acreditam que é devido às proezas de José Auriemo como líder que a JHSF tenha sido tão bem-sucedida. Sua conquista mais marcante como chefe desta empresa imobiliária líder é o lançamento do complexo comercial Cidade Jardim. Esse complexo de compras de luxo permitiu que marcas de luxo como Hermes, Jimmy Choo e Pucci encontrassem uma casa no país.

Faturamento dos BBB é prejudicado por causa da pandemia

Os participantes que saem da casa mais vigiada do Brasil podem perder algumas oportunidades de trabalho. Estima-se que durante o período de quarentena os valores que poderiam ser faturados poderiam chegar a até R$ 300 mil. Em geral, depois que um BBB sai do programa, existem diversas oportunidades de publicidade em lojas e eventos.

De acordo o UOL, os valores podem dos cachês sobem conforme o tempo de permanência na casa. No início do programa ainda não havia notícias da pandemia no Brasil, porque a doença estava se alastrando pela Ásia. Os participantes que deixaram a casa antes do anúncio da quarentena, ainda conseguiram faturar com presença VIP e espaços publicitários.

No entanto, participantes como o Victor Hugo, Pyong, Daniel e Felipe Prior não conseguiram sentir totalmente o gostinho da fama. Eles não puderam se encontrar com os fãs e nem saber o nível de popularidade nas ruas. Foi necessário permanecer no isolamento social por causa das recomendações de especialistas da área médica. O contato com o público se dá pela internet nas redes sociais e em publiposts.

Os seguidores no Instagram são um público que pode gerar retorno financeiro, de acordo com o agente Marcos Moraes da MM Estratégia de Imagem. Ainda que o mais importante seja faturar, o agente afirma que é necessário colocar em avaliação o anunciante para ver se a marca ou produto tem a ver com a imagem que o famoso quer construir. “É importante dar um espaço de tempo entre um anúncio e outro para não perder seguidores”, alerta Moraes.

Guilherme foi o participante que mais aproveitou os benefícios depois de sair do BBB 20. Em uma semana apenas, o modelo conseguiu aproveitar alguns privilégios para fazer trabalhos, ainda existem os que foram fechados para acontecerem depois da quarentena. Victor Hugo não teve tantos contratos fechados, pois saiu no momento em que a pandemia começou a ganhar a atenção da mídia. Consegui trabalhar somente três dias antes da quarentena.

O jovem afirma que tem a sensação de ainda estar confinado no BBB, por  ainda não conseguir faturar em eventos porque todos foram cancelados, mas ele se consola com o carinho que recebeu dos fãs.

Petrobras paralisa obras de gasoduto no Rio de Janeiro devido à pandemia

A Petrobras informou em recentes notícias no dia 16 de abril deste ano que paralisou as obras do Projeto Gaslub Itaboraí por tempo indeterminado. As obras do ex-Comperj, relacionadas com a construção do gasoduto Rota 3 e com a UPGN (unidade de processamento de gás natural), estão com os cronogramas parados devido à pandemia de coronavírus no Brasil. A medida foi tomada com base em um ofício publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de Itaboraí, Rio de Janeiro, no dia 23 de março deste ano.

Na época em que a medida foi emitida, a secretaria solicitava a interrupção de 70% das obras no local para que a curva de contágio do novo coronavírus fosse respeitada. “De forma imediata, não somente a estatal, mas todas as empresas que estão vinculadas à obra, passaram a atender esta solicitação. Desde então, somente um contingente de 30% estava operando nas obras do Gaslub”, explica uma nota divulgada pela Petrobras.

Diante de tal situação, a Petrobras disse que o cronograma do projeto será todo revisado e só será anunciado quando a pandemia tiver sido controlada no estado. O Projeto Integrado Rota 3 é uma solução de escoamento para o gás natural extraído do pré-sal. O empreendimento irá possuir uma UPGN (Unidade de Processamento de Gás Natural) de última geração com capacidade de processar cerca de 21 milhões de m³ a cada dia de trabalho.

Além da UPGN, a obra também irá oferecer ao estado um gasoduto com 355 km de extensão ao todo. Destes, 307 km são relativos a um trecho marítimo, que já possui 48 km do trecho terrestre concluído e está quase pronto para o escoamento do produto. Esse projeto terá capacidade de escoar o gás natural vindo do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos até a UPGN.

A Petrobras é uma das empresas petrolíferas que sentiu os impactos da crise do petróleo vindo junto à pandemia de coronavírus. Além da paralisação das obras, a empresa teve que tomar medidas e fazer cortes de pessoal para lidar com a baixa demanda de petróleo no mercado externo e queda dos preços entre março e abril deste ano.

FMI divulga relatório com estimativas de recessão comparadas a Grande Depressão

A pandemia que atingiu o mundo em 2020 já provoca estragos na economia global com registros negativos de desempenho comparados a Grande Depressão de 1929. A comparação foi feita pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) e divulgada em recentes notícias no dia 14 de abril deste ano. De acordo com um relatório publicado pelo órgão, as estimativas são de queda no PIB (Produto Interno Bruto) global de 3%. Antes da pandemia, a previsão era de alta de 3,3%.

Em relação ao Brasil, o FMI estima que a queda no PIB deste ano será na casa de 5,3%. Anterior a pandemia, a estimativa do órgão para o PIB brasileiro era de alta de 2,2%. Caso as novas previsões feitas pelo FMI se confirmem, a economia brasileira irá passar por um momento negativo sem precedentes na história do país. A referência mais próxima é da economia do país em 1901. No momento, as projeções lançadas pelo FMI em relação à economia brasileira são mais pessimistas que as projeções realizadas pelos especialistas do mercado interno.

De acordo com o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central em abril deste ano, os analistas da instituição estão mais otimistas que o FMI, com estimativas de recuo de 1,96%. Para lidar com a pandemia, diversos países paralisaram suas atividades econômicas que não são essenciais neste momento. O isolamento social e a quarentena fizeram com que diversos setores entrassem em recessão.

“Em 2020, é muito provável que a economia global passe por sua pior recessão desde 1929, sendo mais negativa do que a crise enfrentada em 2008”, explica o relatório do FMI intitulado como World Economic Outlook. A crise deverá ser mais agressiva para as economias mais avançadas, explica o relatório. As estimativas são de que os países mais ricos registre retração média até 6,1%, sendo que em países emergentes a média do recuo seja de 1%.

Nesse contexto, a crise desencadeada pelo coronavírus necessita de grande estímulo fiscal e monetário para ser superada. A estrutura econômica global deve garantir os empregos e a autonomia dos empresários. “A força e a velocidade em que a economia está mergulhando em um colapso em grande parte dos setores é diferente de tudo que já enfrentamos no mundo globalizado de hoje. Vivemos em dias de incertezas sobre os empregos e o patamar de vidas das pessoas”, explica Gita Gopinath, economista-chefe do FMI.

Auxilio emergencial japonês de 900 dólares começa a ser pago em abril deste ano

O governo do Japão divulgou notícias recentes no mês de abril deste ano informando que irá pagar US$ 900 para os cidadãos do país que sofrem com perdas econômicas devido à pandemia de coronavírus. O país foi um dos que mais se manteve restrito com medidas de quarentena assim que os primeiros casos confirmados da doença atingiram a população japonesa. O valor do auxílio emergencial japonês foi divulgado na noite do dia 16 de abril deste ano.

De acordo com Shinzo Abe, primeiro-ministro japonês, a decisão foi tomada após reunião com os partidos de coalizão no Japão. O valor emergencial definido pelo governo japonês é de 100.000 ienes, o equivalente a 929 dólares, 854 euros e a 4.858,67 reais. Abe não especificou se o valor disponibilizado para os cidadãos serão para todos que vivem no país, independente da idade ou da renda de cada um, ou se existiram mais parcelas além desta que está sendo oferecida agora.

Assim como em muitos países, o Japão também passou por abalos em sua economia, sendo o setor de turismo um dos mais afetados, seguido por varejo e transporte. O estado de alerta à saúde no país está acionado desde o início dos primeiros casos, e as restrições à imigração que já eram rígidas, passou a serem ainda mais restritas a todos.

Essa medida fez com que muitas empresas encerrassem suas atividades no país. A indústria automotiva parou a produção de veículos no Japão em decorrência da queda vertiginosa da demanda dos consumidores. A queda na demanda de veículos é global, e tem afetado diretamente a indústria automotiva durante a pandemia. A medida tomada para ajudar os cidadãos do Japão é excepcional e já havia sido aprovada no início de abril deste ano pelo governo de Tóquio e de outras cidades no país.

No dia 17 de abril, o número de casos confirmados de coronavírus no Japão atingiu a casa dos 10 mil infectados e 203 mortes, segundo informações oficiais divulgadas no mesmo dia pelo governo japonês. Grande parte das vítimas fatais da covid-19 no país é de Tóquio, que teve 56 mortes confirmadas pela doença e mais de 2.500 infectados.

Eduardo Sirotsky Melzer é conhecido como um premiado empresário e investidor, mas quem o conhece bem o chama Duda Melzer

Duda Melzer é o jeito que o presidente do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer, é conhecido por pessoas próximas. O empresário conheceu muito sucesso ao longo de sua carreira e incluem o trabalho que ele fez para transformar o Grupo RBS em uma empresa forte, com experiência no setor de tecnologia. O empresário Duda Melzer também está profundamente envolvido com a EB Ventures e serve a empresa como seu principal executivo.

Duda Melzer trabalhou diligentemente nas áreas de investimento de private equity e venture capital e construiu um portfólio diversificado. A EB Ventures foi estabelecida durante o ano civil de 2012 e Duda Melzer também ocupa o cargo de Presidente do Conselho.

Os anos em que Duda Melzer chefiou o Grupo RBS foram lucrativos e o sucesso foi reconhecido. Ele já foi vencedor da prestigiada distinção Entrepreneur of the Year, concedida anualmente por Ernst e Young. Ele recebeu essa grande honra como parte da designação de empresa familiar. Atualmente, grande parte de seu tempo é gasto com seus investimentos em emocionantes empresas iniciantes nos EUA e no mercado brasileiro.

Quando se fala de uma figura inspiradora nos negócios, eles geralmente esperam que o trabalho duro e a dedicação à profissão estejam no topo da lista de prioridades. Certamente é esse o caso quando se fala de Eduardo Sirotsky Melzer. Ele normalmente começa seus dias úteis de manhã cedo, antes do sol nascer. Duda Melzer acredita muito em começar bem o dia com um treino forte para manter o foco e o bom estado de espírito.

A formação educacional que Duda Melzer possui é impressionante. Estudou na PUC Rio Grande do Sul e se formou na área de administração de empresas. Ele então usou essa formação para ingressar em seus estudos de pós-graduação em Harvard. Ele obteve seu MBA na prestigiada instituição acadêmica.

Esse excelente histórico o serviu bem ao longo de sua carreira como empresário e investidor dedicado. Isso o configurou perfeitamente para empreender os empreendimentos de sucesso que ele perseguiu profissionalmente. É outro ponto que define Duda Melzer como um indivíduo inspirador.

Ao longo da carreira do empresário Duda Melzer, ele fez questão de garantir que as pessoas ao seu redor fossem de alto calibre. A criação de uma equipe forte tem sido o foco principal de sua carreira empreendedora e ele continua buscando se cercar de pessoas que possam agregar um valor tremendo ao trabalho que ele realiza em seus diferentes empreendimentos. Este é um método testado e comprovado para cultivar o sucesso profissional e certamente é uma fórmula que tem sido seguida diligentemente pelo empresário Duda Melzer ao longo dos anos em que ele atua como profissional.

Ter uma forte missão ou propósito por trás do que a empresa faz é algo que sempre excitou Eduardo Sirotsky Melzer. Ele acredita que esse tipo de pensamento é uma ótima maneira de gerar uma alta taxa de sucesso.